Como fazer o agendamento do Cofre Virtual

Como fazer o agendamento do certificado digital

O agendamento do certificado digital é apenas uma das fases necessárias para a emissão do certificado digital. Há alguns passos anteriores ao agendamento que precisam ser cumpridos pelos advogados para que possam dispor do certificado digital. Entenda cada um deles a partir destas orientações.

Agendamento do certificado digital: é para o certificado A1 ou A3?

O primeiro passo para adquirir o certificado digital é selecionar o tipo de certificado a ser usado para assinar os documentos: o certificado A1 ou A3?

O advogado que optar pelo certificado digital do tipo A1 terá todas as informações relativas a ele salvas no computador. Sobretudo, o terá protegido por senhas e a segurança garantida por dois tipos de chaves, uma pública e uma privada. Ou seja, não há como uma delas ser decodificada sem a presença da outra. Nem há como alterar as informações que as chaves guardam, por isso, é essencial que o advogado informe corretamente seus dados após o agendamento do certificado digital. Por um ano (período de validade do certificado), estas serão as informações que constarão salvaguardadas pelas chaves. Até que o certificado seja renovado ou um novo precise ser adquirido.

A necessidade de solicitar um novo certificado, mesmo que o outro ainda esteja valendo, pode surgir por três razões:

  • panes no computador, devido a ameaças virtuais,por exemplo;
  • roubo do único computador em que o certificado digital está salvo;
  • não ou mau funcionamento de uma das chaves.

A única possibilidade de o certificado digital estar protegido desses possíveis danos é optar por outro meio de proteger a certificação, que não seja apenas mantê-lo salvo no computador. Há soluções capazes de manter o certificado digital A1 guardado em segurança na nuvem.

Já para o certificado digital A3 essa possibilidade ainda não existe. Por essa razão, o uso desse tipo de certificado precisa ser bem pensado. Primeiro, há que se considerar como a certificação A3 é armazenada. Há dois tipos de mídia que suportam as chaves pública e privada: token e smart card.

O token é um dispositivo que se assemelha a um pen drive. Logo, pode ser facilmente confundido com um e ser esquecido nos locais por que circula o advogado. Nesse caso, para recuperá-lo, é preciso retornar a todos os lugares frequentados pelo profissional até notar a ausência do certificado em sua mesa de trabalho. O que pode significar ter de interromper um cliente em algum compromisso importante.

O smart card é uma espécie de cartão, muito parecido com cartão de  banco. Porém, usá-lo requer que o advogado sempre tenha consigo uma leitora de cartão. Assim, ao invés de carregar somente o smart card, o advogado terá de ter sempre consigo outro dispositivo. Pois, o cartão não funciona sem a leitora e de nada adianta ter a leitora se o cartão tiver sido esquecido em casa, por exemplo. No entanto, vale lembrar que o certificado digital A3 possui três anos de validade. Isso significado que o advogado só precisará renová-lo próximo do 36º mês após a aquisição da certificação.

Por onde começar o agendamento do certificado digital?

Postos os prós e os contras de cada tipo de certificado, é hora de partir para outra escolha: como proteger o certificado digital para tê-lo sempre ao alcance das mãos.

Por meio da forma tradicional de adquiri-lo, as maneiras existentes de guardar o certificado digital para acessá-lo são as que já foram descritas acima:

  • apenas o computador, no caso do certificado A1;
  • o token ou smart card, em se tratanto do certificado A3.

Caso sejam realmente essas as opções do advogado, os passos a seguir a serem percorridos são:

  1. escolher um Autoridade Certificadora (AC);
  2. acessar o site da AC escolhida para efetuar a compra;
  3. aguardar o e-mail para realizar o agendamento do certificado digital;
  4. fazer a validação presencial para que o certificado seja emitido.

Contudo, caso o advogado opte por garantir a segurança do certificado A1, protegendo-o na nuvem, há alguns passos diferentes dos relacionados acima para  obter essa proteção. A começar pela escolha da solução que melhor atende às demandas profissionais.

Algumas dicas para avaliar as alternativas é confirmar se a solução é desenvolvida por uma empresa com experiência em atender o mercado jurídico, especialmente porque existem muitas lawtechs e legaltechs no Brasil trabalhando no desenvolvimento de produtos para os advogados.

Outra orientação é verificar se a solução descoberta realmente oferece acesso ao certificado digital nos momentos em que o advogado precisa, do lugar em que ele estiver. Portanto, um diferencial pode ser o fato de essa solução possuir um aplicativo para assinar as petições salvas no e-SAJ, sistema em que tramitam praticamente 50% dos processos da Justiça brasileira.

O Cofre Virtual cumpre a todos esses parâmetros e tem sido usado com muita satisfação pelos atuais clientes. É possível conferir o depoimento de algum deles no site.

Para usar a solução da Softplan e poder  realizar o agendamento do certificado digital, cada um precisou, apenas:

  1. fazer o cadastro no site do Cofre Virtual;
  2. escolher o certificado e o plano de  proteção para o certificado digital;
  3. aguardar o e-mail para realizar o agendamento do certificado digital;
  4. fazer a validação presencial para que o certificado seja emitido diretamente no Cofre Virtual.

No fim, a quantidade de passos é o mesmo. A questão é definir o que é mais ágil para a rotina do escritório de advocacia: depender de dispositivos que podem ser danificados, roubados ou perdidos a qualquer momento ou ter mobilidade e fácil acesso, inclusive pelo smartphone.

O Passo a passo para seu certificado digital ser salvo na nuvem pode colaborar  para essa decisão. 😉 Boa leitura!


Deixe seu comentário

cofrevirtual@softplan.com.br | +55 48 3027-8000
© 2018 Cofre Virtual - Todos os Direitos Reservados
Uma iniciativa
shares