O marketing de conteúdo para advogados está entre as principais estratégias de marketing digital que esses profissionais vêm utilizando. Em muitas outras áreas, essa maneira de atuar no marketing já comprovou ser eficaz. A principal razão já é conhecida: as pessoas é que estão escolhendo o que consumir na internet. Assim, quando elas querem saber a respeito de alguma questão jurídica, recorrem à busca na rede mundial de computadores.

Essa é uma tendência que o  ABA Journal já legitimou com estatísticas. De acordo com o apurado pelo site especializado em conteúdos relacionados à área jurídica, cerca de 33% dos clientes de escritórios de advocacia iniciaram a procura pelo advogado em ambiente online.

Dentre outras questões, o dado levantado pelo ABA mostra o quanto a internet é um ambiente em que os advogados precisam estar. Principalmente porque muitas oportunidades podem surgir dela. Por isso, os escritórios que já perceberam que o mundo virtual é um lugar de oportunidades, estão usando todos os recursos necessários para aumentar a carteira de clientes. Consequentemente, elevar o faturamento.

Em um estudo feito com mais de 300 clientes, a Martindale descobriu que 65% deles direcionam a maior parte do orçamento destinado à publicidade para o marketing digital. Já a Law Practice Advisor constatou que 70% dos escritórios de advocacia que fazem parte da comunidade online obtiveram novas possibilidades por meio dos seus sites.

Agora que os números já demonstraram todo o potencial da internet para os advogados e os escritórios de advocacia, vamos às dicas para aproveitar essa nova tendência na área jurídica.

Marketing de conteúdo para advogados: o que é preciso saber para colocar em prática

O que é preciso, para começar, é se destacar em relação à concorrência. Por entender como a internet pode colaborar para a prospecção de novos clientes, muitos escritórios de advocacia e advogados deram início às próprias estratégias de marketing de conteúdo e digital. O diferencial, nesse caso, é desenvolver um planejamento eficiente para o marketing de conteúdo para advogados, especialmente. Pois, é por meio dele que há maior chance de aparecerem novas e boas oportunidades. Portanto, usar o tempo disponível para planejar o conteúdo é essencial.

Ninguém gosta de ler conteúdos mal escritos e sem fundamentação. Por isso, não se deve escrever por escrever. É preciso pensar no que será escrito e pesquisar para embasar a argumentação. Ou seja, a produção deve conter informações relevantes e ter caráter informativo para se destacar na internet.

Outra coisa que é preciso é saber para quem será direcionada a comunicação. Da mesma forma que não se deve escrever por escrever, também não adianta querer falar com todo mundo. Quem tenta falar com todo mundo, acaba não falando com ninguém. Ao escrever, deve-se saber para quem se está escrevendo. No marketing, isso chama-se definir a persona.

Todo escritório de advocacia e todo advogado sabe qual é a sua área de atuação principal. E pelas pessoas que recorrem a sua assistência jurídica, tem uma ideia de qual é o perfil do público com quem se comunica ou quer comunicar-se. Desse modo, isso pode ser usado para produzir conteúdos personalizados, que terão o alcance certo e potencial para gerar oportunidades qualificadas.

Mas, cuidado com a forma da escrita. Muito habituados a elaborar petições iniciais, os advogados costumam usar muitos termos técnicos. Esses termos são facilmente entendidos por quem é ada área do Direito. Porém, quando o público é outro, o uso de termos técnicos pode prejudicar o entendimento do conteúdo. Dessa forma, ao escrever, optar por palavras com significados mais fáceis de serem compreendidos é a orientação. Assim, facilita-se a absorção da informação. Usar exemplos e analogias da vida cotidiana também são recursos que podem ser usados para tornar mais fácil a assimilação do conteúdo.

A dica acima também vale para a produção de conteúdos em áudio e vídeo. Esse é outro formato de conteúdo que pode ser explorado pelos advogados e escritórios de advocacia. Algumas pessoas preferem assistir ou ouvir sobre o assunto que pesquisaram a ler a respeito. O advogado pode tirar proveito dessa preferência ao dedicar-se a gravar vídeos. Às vezes, é até mais rápido do que escrever um artigo. No entanto, o mais efetivo é usar o vídeo para complementar a produção textual e vice-versa.

Só é preciso ter cuidado com o tempo do vídeo. Embora prefiram assistir, essas pessoas não têm paciência o suficiente para parar e ver ou ouvir vídeos longos. Por esta razão, ao optar por gravar vídeos, o foco deve ser a objetividade. Toda a informação que se quer expor tem de ser transmitida em poucos minutos.

Um cuidado importante é para não redigir textos com fins comerciais. Nem textos noticiosos sobre o ganho de uma causa, de forma a evitar ferir o Código de Ética, sob cujas normas devem atuar os advogados.

Uma vez iniciada a produção do conteúdo, deve haver uma periodicidade para as publicações. Faz parte do planejamento do marketing de conteúdo para advogados definir se os textos ou vídeos serão publicados mais de uma vez na semana, uma vez por semana, uma vez a cada 15 dias ou mensalmente, apenas. Tudo depende do tempo que o advogado terá para escrever ou gravar. Contudo, feito esse planejamento, ele deve ser respeitado.

Outra maneira de alcançar o crescimento do escritório de advocacia e tornar o cliente satisfeito é fazer o download do e-book Tecnologia na advocacia: como economizar dinheiro e otimizar seu tempo. O conteúdo traz informações sobre como fazer uma análise de despesas e ter menos preocupações. 😉